Livros de 2019

Em 2019, li 30 livros, muitos emprestados ou requisitados na biblioteca.


Sem nenhuma ordem em particular, ficam aqui os meus favoritos:

Teoria Geral do Esquecimento (José Eduardo Agualusa)

"Deus pesa as almas numa balança. Num dos pratos fica a alma, no outro as lágrimas dos que a choraram. Se ninguém a chorou, a alma desce para o inferno. Se as lágrimas foram suficientes, e suficientemente sentidas, ascende para o céu. Ludo acreditava nisto. Ou gostaria de acreditar. Foi o que disse a Sabalu: vão para o Paraíso as pessoas de quem os outros sentem a falta. O Paraíso é o espaço que ocupamos no coração dos outros.”

O Luto é a Coisa com Penas (Max Porter)

“Moving on, as a concept, is for stupid people, because any sensible person knows grief is a long-term project. I refuse to rush. The pain that is thrust upon us let no man slow or speed or fix.”

Lanny (Max Porter)

“Which do you think is more patient, an idea or a hope?”

Trânsito (Rachel Cusk)

"... pareceu provar que, fosse o que fosse que nós optássemos por acreditar acerca de nós mesmos, éramos apenas o resultado da forma como os outros nos trataram."

A Contraluz (Rachel Cusk)

“Sometimes it has seemed to me that life is a series of punishments for such moments of unawareness, that one forges one’s own destiny by what one doesn’t notice or feel compassion for; that what you don’t know and don’t make the effort to understand will become the very thing you are forced into knowledge of.”

Pátria (Fernando Aramburu)

"Metem-lhes as ideias más e, como são novos, caem na armadilha. Depois julgam-se uns heróis, porque andam com pistola. E não se apercebem de que, em troca de nada, porque no fim não há outro prémio senão a prisão ou a cova, deixaram o trabalho, a família, os amigos. Abandonaram tudo para fazer o que meia dúzia de interesseiros lhes mandam. E para darem cabo da vida a outras pessoas, deixando viúvas e órfãos por todas as esquinas."

Home Fire (Kamila Shamsie)

“Everything else you can live around, but not death. Death you have to live through.”

Circe (Madeline Miller)

"I had no right to claim him, I knew it. But in a solitary life, there are rare moments when another soul dips near yours, as stars once a year brush the earth. Such a constellation was he to me."

Mr. Fox (Helen Oyeyemi)

“Solitary people, these book lovers. I think it is swell that there are people you don't have to worry about when you don't see them for a long time, you don't have to wonder what they do, how they're getting along with themselves. You just know that they're all right, and probably doing something they like.”

Outono (Ali Smith)

"Foi o pior dos tempos, foi o pior dos tempos. De novo. É esse o problemas das coisas. Desfazem-se, sempre se desfizeram, sempre se desfarão, está-lhes na natureza."

Como ser Uma e Outra (Ali Smith)

"Além disso percebo ao vê-lo de costas que já a conhcece: um rapaz apaixonado? As velhas histórias nunca mudam: mas apaixonado por esta mulher? (...) e não faz ideia de que ela está ali, nem o seu ardor, apesar de entre eles haver algo tão forte como o ódio ou um raio de calor que parte dele e a tem a ela como alvo."

A Casa dos Espíritos (Isabel Allende)

"- Gostava de ter nascido homem para ir embora também - disse ela, cheia de ódio.
- E eu não gostava de ter nascido mulher - disse ele.
Acabaram de comer em silêncio."

Pássaros na Boca (Samanta Schweblin)

“El mundo lo que tiene es una gran crisis de amor, y de que, al fin y al cabo, no son buenos tiempos para la gente muy sensible.”

*Foto de Ed Robertson - Unsplash