"Palavras. Não há maneira de as esquecer. Não te deixam estar verdadeiramente sozinha. Praga de bichos. Deveria abrir as janelas de par em par para que as palavras saiam para a rua, os lamentos, as velhas conversas tristes presas entre as paredes do apartamento desabitado."