31 em 2018

2018 foi o ano em que comecei cheia de dúvidas, que acabaram por se tornar numa série de certezas (que trouxeram novas dúvidas) tendo acabado de uma forma totalmente diferente do planeado. Foi o ano do hic et nunc, de muita comida, muitas leituras e muitas lições.

Para continuar com a tradição (inspirada pelo Austin Kleon), seguem os meus 31 em 2018:

1. Começar e acabar o ano a ir ao brunch dos Kitchen Dates.

2. A cena final de Call me by your name; a obsessão com a banda sonora.

3. Os reencontros (os muito bons e os muito maus).

4. Os 3C: comida, cultura e conversa.

5. Ir à Web Summit.

6. Ter ainda mais certeza sobre a importância dos factos para entender o mundo. (leiam Factfulness, vale a pena.)

7. Continuar a ser criativa. Com o bullet journal. No trabalho.

8. Experimentar novos restaurantes a convite da Zomato.

9. Ter aprendido que há coisas que não se podem controlar.

10. Ser dama de honor, com direito a despedida em Barcelona.

11. Voltar a apaixonar-me por Itália.

12. Divertir-me com o Oscar Wao.

13. Experimentar comida etíope em Bruxelas.

14. Mother! E que filme!

15. Ir ao Boa Bao no Porto na melhor companhia.

16. Perder-me novamente no mundo de Westworld.

17. Descobrir LP. Descobrir Rosalía. Descobrir esta música e esta também.

18. Desmaiar a ver Black Mirror.

19. Missão de salvação do fio da estrela (resgatado em Lisboa).

20. Ver Jaín no NOS Alive. Dançar com o Johnny Hooker no Piquenique da Casa das Artes.

21. Imaginar O Que os Cegos estão Sonhando por causa das Pandoras.

22. Voltar ao calor do Sul de Espanha e ser una portugueZa en Andalucía.

23. Perder-me em Flights. E correr atrás da primeira folha que resolveu voar, embalada pelo Levante, numa qualquer praia espanhola.

24. Inspirar-me tanto no Youtube (1, 2 e 3) e no Instagram (4, 5 e 6).

25. Celebrar os anos na praia.

26. A Time Out reconhecer a minha indignação crónica.

27. Arriscar. Confiar. Desanimar. Enganar-me. Aprender. Recomeçar. Repetir. Sem ordem.

28. Perder o meu melhor amigo.

29. Começar os Encontros Improváveis. E o of words and letters. E os Contos e Desencontros.

30. Emocionar-me com os Tribalistas. E com Roma. E com O Vendedor de Passados. E com os 3 Cartazes à beira da estrada. E com Shoplifters. E com o Ólafur Arnalds. E com a tristeza d'As Velas Ardem até ao fim.

31. Acabar o ano em Madrid, já a pensar no mote para 2019.

*Foto de Markus Spiske - Unsplash