30 em 2017

Todos os meses são bons para reflexões e para listas. Ainda assim, as listas parecem fazer mais sentido em certos meses, como Setembro e Dezembro.
Em 2017, fiz 30 anos. E, copiando a ideia de Austin Kleon (que escreve, desenha, cria e tem óptimas ideias sobre criatividade), resolvi partilhar os meus 30 momentos de 2017 (e já a preparar os 31 de 2018):

  1. Redescobrir a biblioteca da FLUP.

  2. Fazer parte das Pandoras, um clube de leitura mensal da Confraria.

  3. Apostar em algo diferente e participar num workshop de escrita da Rita da Nova.

  4. Ir pela primeira vez ao Fantasporto (mesmo tendo adormecido a ver o filme escolhido). Acabar por ver o filme de estreia "A Idade das Sombras" no Arrábida.

  5. Apresentar um projecto sobre nanotecnologia na UNESCO, em Paris.

  6. Perceber o que é o síndrome de Stendhal ao ver o espectáculo de dança ItMoi.

  7. Correr a primeira meia maratona no Douro (e perceber que devia ter treinado mais antes!)

  8. Dar uso a todos os cadernos bonitos que tenho para praticar caligrafia.

  9. Fascinar-me pelo mundo dos bullet journals e usar o meu o ano todo.

  10. Conhecer a beleza de Formentera.

  11. Perceber o quanto gosto do pôr do sol, especialmente este.

  12. Ir, pela primeira vez, ao cinema Trindade e ainda não ter conseguido perceber até que ponto o Quadrado teve impacto em mim.

  13. Experimentar a obsessão: “I am human, nothing more than human”.

  14. Descobrir que no Porto se pode comer óptima comida japonesa sem ser sushi, sem ter molho como estrela principal e sem pagar uma exorbitância por isso.

  15. Num dia particularmente mau, e que ainda piorou depois disso, sorrir com a ternura do Miguel em Coco.

  16. Ter a melhor refeição na Grécia no Anemoloos, mesmo com vinho entornado.

  17. Conhecer Best Youth num concerto no Mercado Bom Sucesso.

  18. Querer ser como a Sónia Braga em Aquarius.

  19. Passar a ter um antes da e depois da experiência Euskalduna Studio.

  20. Pode um filme ser feito de propósito para nós?

  21. Visitar a Ásia, em Lisboa, na melhor companhia: parte 1, parte 2 e parte 3. Visitar Taiwan no Porto.

  22. Pode uma música ser feita de propósito para nós? Parte 1 e parte 2.

  23. Cantar no carro.

  24. Ir ao primeiro festival de música só por causa de Parov Stelar e The XX no NOS Alive.

  25. Passar um filme inteiro em suspense e continuar a acreditar no poder das histórias bem contadas e das bandas sonoras sublimes.

  26. Deixar os sentimentos contraditórios e o desassossego levarem a melhor.

  27. Apaixonar-me por Milão e a Itália rural no Verão.

  28. Ler 30 livros.

  29. Recomendar uma série brasileira: 3%

  30. Sentir o desconforto num ciclo de espectáculos sobre Deslocações no Teatro Municipal do Porto.

* Foto de Martin Reisch - Unsplash